Uma praga chamada desculpa ! por William Câmara


“Temos visto com uma frequência bem maior do que se poderia desejar, pessoas não realizarem o que lhes cabe e tentarem justificar-se com as razões mais variadas. Uma razão muito comum é não tive tempo, embora saibamos que tempo é só uma questão de prioridade. O mais interessante é que muitas dessas pessoas só teriam que prestar contas a  si mesmas e mais ninguém, mas mesmo assim, ficam se desculpando. Desculpa é a justificativa que damos para os outros, ou para nós mesmos, para deixarmos de fazer algo por medo, por comodidade, por não o sentirmos como prioritário, importante, etc., mas que não assumimos a verdadeira razão dessa decisão perante os outros e nós mesmos. Quando a força de vontade, a determinação e a sinceridade entram por uma porta, a desculpa sai pela outra. Quando temos a coragem de assumir que algo não nos é prioritário ou não queremos fazer, a desculpa se torna desnecessária. Quando somos capazes de perceber a gravidade de uma situação e temos a dignidade de não nos omitirmos, lutamos contra a praga da desculpa e assumimos o nosso papel, fazemos o que temos que fazer, não empurramos a outros mediante falsas justificativas. Quando temos uma vontade férrea e uma determinação indestrutível para realizar algo, a desculpa não existe, simplesmente porque se acaso não o realizarmos será por um motivo tão forte e tão reconhecido, que nada será necessário dizer, muito menos apresentar alguma desculpa”.

Nesta semana, pense nisso.

Dar desculpas é um vício que muita gente tem e às vezes nem percebe disso. Tempo é, realmente, questão de prioridade e as pessoas que vivem se desculpando perdem a grande chance de serem vistas como proativas e com isso impedem o sucesso que tanto desejam. Boa semana e sucesso! Um texto muito interessante de Luiz Almeida Marins Filho, Ph. D.


Siga-nos

Instagram




Sobre

Estamos há 50 anos no mercado de alta performance, qualidade de vida, autoconhecimento, alongamento muscular, consciência corporal, combate ao stress, meditação, exercícios respiratórios e alimentação biológica.