Qual é o sentido? por William Câmara


Não, não vou cair na pieguice de perguntar qual é o sentido da vida, de nossa existência. Pra onde vamos, blá, blá, blá. Aqui me atenho ao significado que encontrei no dicionário à palavra sentido: bom senso, juízo, intento, propósito, objetivo, lógica, cabimento, razão de ser. Me debrucei em uma superficial reflexão sobre o sentido, a razão de ser de algumas coisas que a humanidade criou para ela mesma.

Em questão de minutos, constatei assustadoramente que praticamente tudo que fazemos é desprovido de um bom senso ou propósito realmente verdadeiro.

Como não daria para dissertarmos sobre tudo, resolvi escolher aquele em que nós gastamos a maior parte do tempo de nossas vidas, e isto é um fato estatístico: o trabalho.

O termo trabalhar provêm do latim tripaliare, que significa martirizar com o tripalium (instrumento de tortura da época medieval). Será que é por isso que tacitamente o termo trabalho é aplicado no sentido de esforço, cansaço e/ou algo forçosamente ruim?

Daí a expressão “dar trabalho”, como por exemplo: “você acha que irei me dar ao trabalho de ler esta coluna” ou “você me dá um trabalho desgraçado!”.

Será que é isto mesmo que deveria significar?

Meditemos (no sentido de pensar) juntos: se passamos mais da metade de nossas vidas trabalhando, se acabamos nos tornando aquilo que fazemos repetidamente. Deveríamos gastar nosso preciosíssimo tempo de nossa breve passagem pela Terra para nos torturarmos.

Executarmos durante anos a fio aquilo com o qual não temos a menor afinidade e não nos proporciona prazer e satisfação? Pois é, é isto o que a maioria dos seres humanos faz (e ainda nos intitulamos homo sapiens). Eu sei que você vai dizer que existe toda uma pressão, expectativa social e familiar de que nos encaixemos em um padrão (ou caixão) especialmente moldado para nós.

Pensemos juntos:

Até que ponto vale a pena sacrificar sua saúde, qualidade de vida, tempo, realização e sonhos em troca de uma bem sucedida carreira que lhe trará dinheiro, status e a tão perseguida estabilidade e segurança? Perdi a conta do número de alunos meus que possuíam tudo isso e declaravam-se totalmente infelizes.

"Escolha um trabalho que ame e não terá que trabalhar um único dia em sua vida."

- Confúcio

Não estou dizendo que não devemos obter estes valores tão intrínsecos à sociedade mundial. Mas questionando o caminho para conseguí-las. O reconhecimento pessoal e a recompensa financeira deveriam ser consequências. De se fazer bem aquilo que gostamos e não o fator primordial para se enveredar em qualquer profissão.

Descobri um fórmula para se averiguar se estamos no caminho profissional certo. Certo dia, me questionava sobre minha opção em tornar-me instrutor do Método DeRose. Brotou em minha cabeça a seguinte pergunta: “O que mudaria na minha vida profissional se eu ganhasse na loteria?”

Imediatamente apareceu a resposta: “Nada!” A resposta que proveio de meu interior me deixou profundamente satisfeito. Pois significou que dinheiro não me conduziria a uma profissão diferente e para confirmar, fiz o teste com outras pessoas. E na grande maioria a resposta foi: “mudaria de trabalho”, “abriria meu próprio negócio em outra área”. Faça o teste.

Qual é o sentido dessa penúria? Eu sei que falar, neste caso, escrever, é fácil. Mas temos que tentar encontrar e trabalhar com aquilo que nos deixe plenos. Tente!

Creio que a maior dificuldade é saber aquilo que se quer fazer da vida. Aquilo que nos move, que te faz sair da cama todos os dias para enfrentar o que der e vier de peito aberto. Porque simplesmente você ama e acredita naquilo que faz.

Tive a felicidade de fazer do meu hobby a minha profissão. Até 1997 trabalhava como empresário no ramo calçadista, nunca foi uma paixão. Mas era tradição familiar e havia as expectativas e afins. Um belo dia o Método DeRose cruzou o meu caminho, e o resto.. é história!

Os poucos afortunados que conseguiram trabalhar com aquilo que gostam compreenderão claramente a próxima linha. Não há grana no mundo que pague a satisfação e a harmonia proporcionadas pela paixão com que você executa sua profissão, tanto é que alguns alunos me perguntam se não tiro férias e respondo que vivo em férias!

"Seja o que for que deseje ou sonhe, comece agora. A ousadia possui magia, genialidade. Busque aquilo que deseja." - Goethe

Você pode pensar que o sentido disto tudo está arraigado nos “valores” que você aprendeu quando criança. E lhe disseram que iria conseguí-los por meio de um bom emprego recheado de um ótimo salário. Sem importar se sua vontade era dedicar a vida àquilo ou não.

“Você deve estudar para ter um bom cargo, ganhar bastante dinheiro para sustentar uma família algum dia, só assim vai encontrar a felicidade.” Então tá, né?

"O valor das coisas é proporcionalmente igual à importância que você lhes dá." - A Ancestral Arte da Poesia de Fábio Euksuzian

Não encare este artigo como uma visão utópica de um filósofo romântico. Reflita e lembre-se do principio kármico: para que possa existir uma reação deve haver uma ação. Evite se preocupar com o tamanho da ação, por mais minúscula que ela seja, tenha certeza de que ela lhe auxiliará muito naquilo que você quiser modificar. http://metododerosemorumbi.org/wp-content/uploads/2011/06/o-sentido.jpg

Uma vez perguntaram à um sábio: O que mais te surpreende na humanidade? Ele respondeu: "Os homens que perdem a saúde pra juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro pra recuperar a saúde. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido."

É amigo, como diria o bom e velho Caetano: “Não me amarra dinheiro não, beleza puuura”.

Texto do escritor e professor Fabio Euksuzian.



Siga-nos

Instagram




Sobre

Estamos há 50 anos no mercado de alta performance, qualidade de vida, autoconhecimento, alongamento muscular, consciência corporal, combate ao stress, meditação, exercícios respiratórios e alimentação biológica.